Welcome to the land of questions

A Arte De Reinventar - Ajuste Suas Antenas

"já me sinto feliz se as palavras tocam ou te fazem pensar nem que seja por 1 segundo apenas, isso mostra que a mensagem foi lançada ao mar numa garrafa e chegou onde deveria chegar no coração de alguém que entendeu essa loucura que é o amor "
"Palavras que queimam na minha boca, Derreterão dentro de seus ouvidos"

domingo, 18 de março de 2012

Caritas Eternum Est, Et Ducit Mundum Per Luce, Audi, Vide, Si Vis Vivere In Pace (((d-_-b)))

A confusão se contorce em volta de nossos corações
Impacientemente o mundo cobra uma decisão ou opinião
Quase esgota a fé que ilumina a escuridão
A mesma que nos deixava presos ao não saber
Das correntes de nossa guerra e a dor que certa vez nós chamamos de
Amor

O veneno da dúvida escraviza nossas mentes
E tenta começar a se espalhar pelo coração
Tentando nos fazer sangrar e sofrer
Muitas inverdade ditas nos fizeram abandonar a confiança
Que nos manteve longe de sermos cegos
E fazer com o que tudo que acreditávamos desaparece-se
Debaixo da asa escarlate do ódio, ou do leviatã da dor, da falta de fé
Em o que chamamos durante muito tempo de "nós"
Onde os que quiseram ser perdidos neste mundo cruel estão a salvo
Até que eles se contaminem e não amem mais
E retornem novamente a bestialidade de serem apenas mais um
No mundo vão, em vão

Um coração repleto de luz e fé é a única esperança
De encontrar a verdade em tudo o que ah ou houve em nós
E aquela esperança será nosso
Ora Pro Nobis amor

Nos rezamos para a encontrar tudo
Desesperadamente
E as vezes quando achamos ou quando
As perguntas são respondidas e nós tentamos
Simplesmente nos pomos a chorar ou desatar
Por não perseverar em nossa certeza
De que estamos sofrendo por não lutar pelo ou simplesmente de desistir do
Amor

Na masmorra em onde a maioria de nós guarda seus sonhos
Eles ficam cada vez mais fracos
Quantas das nossas promessas são feitas simplesmente para serem quebradas
E a não lutar por isso ainda assombra nosso sono
Então não o que faremos, viveremos para sempre com nossos olhos abertos?
Por medo de sofrer, por não lutar ou acha que vamos morrer por dor
Novamente

A salvação que todos nós procuramos estará e sempre esteve lá nos esperando
Mais deixamos o nosso coração na escuridão, solitário e medroso
Com uma promessa de morte ao amor
Por culpa do nosso amor?
Ou por não querer mudar aquilo que nos ganhar a dor?

E agora que está falsamente livre
Das correntes de nosso querido amor
Você está cada dia mais só e tão perdida
E então o que o deveria o motivo para essa guerra toda - Ou quem se encontra perdido?

O sentimento mais puro que provem do coração é a única esperança
De encontrar, reencontrar, fazer, re amar
A luta por aquilo era e será sempre só nosso
Não faça disso um réquiem ao amor

Seque as suas lagrimas
Sacuda a poeria
Olhe em frente e verá que eu sempre estive lá
A te esperar, com erros no passado
Com a correção do presente
E força de fazer um novo futuro

Envolva-me em seus braços
E canto-te uma linda canção
Abrace-me até sermos um
E seja a mais bela das minhas composições

O coração é esperança
De encontrar o tal "nós" lá
E aquela esperança sempre será de ser eu e você de ser o "nosso"
Vade Mecum amor
E que está seja a nossa
Ultima Ratio Rerum


Significado:

Réquiem, "Trata-se de uma palavra latina que significa "repouso", no sentido de morte"
Ora pro nobis, "Reza por nós"
Ultima ratio rerum, "A derradeira solução".
Vade Mecum, "Vem comigo"

Fuck Miss Perfect (((d-_-b)))

me tira daqui
me deixa fugir
fugir de você
de tudo que não foi acertado
me esquece, morri
eu nunca existi
passei por aqui tão rápido
nem fui reparado
quando foi que te vi
quando admiti
alguém que me fizesse esse mal danado
me solta, fingi
que nunca esqueci
que já perdi um tempo ao seu lado

vendo as certezas mais insistentes
vendo as mentiras mais convincentes
um pouco beijo de despedida
e chegada na estação

vendo as certezas mais evidentes
vendo as mentiras mais indecentes
enfeitadas com cuidado
numa vitrine em promoção

não sei se quero ver, vender ou vendar

Você não me conhece (((d-_-b)))

Você me quer bem
Quando eu tô legal
Te incomoda porque
Me faz bem
Pra jogar na cara
O que acabou de fazer

Me deprime, me derruba
E depois reza por mim
E o meu crime, fechar as telas antes do fim

Você começa esse jogo chato e eu acabo
Manda seu Boeing na torre, não desabo
Desfila sua vida cor-de-rosa e eu caso
com o diabo...

Você finge que não me conhece
Mas me ama pra sempre porque te convém
Reaparece
Se pinta outro otário
Não sou mais ninguém

Me censura, me blasfema
E depois ora por mim
E o meu crime, isolar as lagrimas antes do fim

Você começa esse jogo chato de vaidades e eu acabo
Manda seu Boeing na minha torre, não me movo e nem desabo
Desfila sua vida cor-de-rosa
E eu que vá pro diabo...

Mais na sua ironia burra, dou cabo
Meu bem, nem tô passando perepis, nem estou em cacos
Enfia sua vida cor de rosa no rabo...

Quem nunca confere o que pode estar além, acaba sempre vivendo aquém...
Quem com o ferro não fere,
será ferido também!

Você não me conhece

Sem Meias Palavras (((d-_-b)))

Medo, era medo de errar
Tarde, muito tarde
pra consertar...
Sem você, deixo de ser o que desejo
eu não sei reconhecer o que não vejo
não vou fabricar alguém pro seu lugar
Cedo, muito cedo
pra provar
Outras cores, novos planos
sonhos, dores, desenganos
Sem você, perco meu prumo, rumo,norte
sim, eu sei, devo contar com a minha sorte
e não procurar alguém pro seu lugar
Explode em silêncio a frase pronta que você lançou:
"O tempo sempre cura toda e qualquer dor de amor"
Sem você, perco meu ponto de partida
Sim, eu sei, resta tentar tocar a vida
mas não haverá alguém em seu lugar

Crime do Desassossego (((d-_-b)))

Cumpro a sentença,
e compenso o que a cela limita
Peço licença de meu senso
e me faço visita
Me conto como está um antigo amigo inventado
Confesso a saudade de estar comigo ao meu lado
e tento cavar um túnel
que me leve de volta
a tudo que me prendeu
sem saber ao certo se era eu
Naquele instante
diante da chance
de roubar um pouco de paz

Sem recompensa
um clima tenso e a pena me irrita
mas não faz diferença
me convenço e cancelo a visita
me dou um bolo sem nenhum sabor
bolo um plano de fuga à prova de dor
e tento cavar um túnel
que me leve de volta
ao mundo que me prendeu
sem saber ao certo se era eu

Brigo pelo estopim de um motim, de uma fuga em massa
uma rebelião qualquer que me devolva a graça
e um sol quadrado não me aquece, já não amanhece
o brilho que existia em meus olhos
naquele instante ...

Naquele instante
diante da chance
de roubar um pouco de paz
roubar um pouco de paz
preso por não ter sossego